Back to top
© Verzetsmuseum, Amesterdão, Países Baixos

Instrumentos utilizados pela resistência no «centro para documentos de identificação pessoal» em Amesterdão dedicado a falsificar documentos oficiais de identificação pessoal - Países Baixos ocupados, 1941-44

Canetas, carimbos, máquinas de escrever, acetona: nas mãos de indivíduos corajosos, estes objetos salvaram milhares de pessoas durante a Segunda Guerra Mundial. Em toda a Europa, uma administração rigorosa nos territórios ocupados permitiu que o regime nazi identificasse, deportasse e exterminasse milhões de judeus e outras pessoas consideradas indesejáveis. Uma nova identidade podia significar escapar aos campos de concentração. Os documentos falsificados permitiram a realização de atos audazes de sabotagem e de espionagem. Com os documentos certos, era possível atravessar fronteiras e falsificar cartões de racionamento, evitando que pessoas morressem de fome.